Palavra Pastoral – DECEPÇÃO

Você já se decepcionou com alguém? É claro que sim, não é?

Talvez hoje mesmo você esteja vivenciando uma grande decepção.

Todos nós já experimentamos este sentimento. Só os extremamente céticos/amargos não se decepcionam com nada ou ninguém.

Paradoxalmente a decepção é filha da esperança. A decepção brota quando esperamos que algo de bom aconteça, ou que alguém que admiramos continue fazendo o que nutriu a nossa admiração e esta pessoa não age de acordo com as nossas expectativas, ou quando o que sonhamos não se concretiza.

Quanto mais devotamos amor ou confiança em alguém e esta pessoa trai as nossas expectativas, maior é a dor da decepção.

A decepção também dói muito quando acreditamos e lutamos intensamente por uma ideologia ou uma causa e com o passar do tempo percebemos que estávamos errados.

Nestes últimos meses, as reações de seus amigos, líderes espirituais e políticos, à esta terrível pandemia, podem ser diferentes das que você tem. Não permita que estas diferenças de perspectiva alimentem a decepção em seu coração.

  Pode ser que você se decepcione com um amigo, ou parente ou até mesmo com o seu líder espiritual, porque vocês não estão vendo a realidade ao redor com as mesmas lentes. Vocês têm convicções discordantes quanto à melhor solução para os problemas decorrentes desta pandemia. Não deixe que esta decepção quanto a opinião do outro se transforme em barreira intransponível entre vocês.

Mas, existe uma decepção mais dura e difícil de superar. É quando você se decepciona com a atitude do outro, quando você se sente traído ao descobrir que ele não é tudo o que você imaginava que ele fosse e percebe nele traços negativos de caráter que você não conseguia ver antes.

Por tudo que tem acontecido no Brasil nestes últimos meses, parece-me que a multidão dos decepcionados tem crescido. Não sei o que está em seu coração, mas não se permita ser uma pessoa amarga. Porque a decepção pode se transformar em completa desilusão e esta em total desesperança.

Vivemos em um mundo de pessoas e ideologias falíveis, por isso é sábio não “apostar todas as fichas” em ninguém. A bíblia ensina exatamente isso com outras palavras: “Maldito o homem que confia no outro homem, que faz da humanidade mortal a sua força.” (Jeremias 17:5)

É um grave erro transformar qualquer ser humano em um super-herói ou colocá-lo em um pedestal onde somente Deus deve estar.

Para minimizar nossas decepções é prudente ver cada ser humano, não importando a posição que ocupa na sociedade, como ele é: um pecador.

Em todo o universo somente um merece a nossa total e irrestrita confiança: Deus.

Por isso o “maldito” de Jeremias 17:5 contrasta com o “bendito” de Jeremias 17:7,8: “Mas, bendito é o homem cuja confiança está no Senhor, cuja confiança nele está. Ele será como uma árvore plantada junto às águas e que estende as suas raízes para o ribeiro. Ela não temerá quando chegar o calor, porque as suas folhas estão sempre verdes, não ficará ansiosa no ano da seca nem deixará de dar fruto.”

Você quer superar a decepção com os homens? Renove a sua confiança no Senhor.

Se a sua visão de Deus estiver correta, certamente você não se decepcionará com Ele. Esta confiança nele é que fará que você sobreviva em um ambiente adverso e ainda dê frutos.

Não fique paralisado pela decepção. Que seu compromisso com uma teologia sadia seja maior do que o compromisso com qualquer ideologia. Creia naquele que promete e cumpre, que é quem diz ser e que permanece fiel no compromisso de amor por você.

Marcos Vieira Monteiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *