Palavra Pastoral – DISCIPLINA

Quando você ouve a palavra disciplina, qual a primeira ideia que vem à sua mente? É uma palavra que traz uma ideia de algo positivo ou negativo, auto controle ou castigo?

A palavra disciplina tem diversos significados, dependendo do contexto. Disciplina pode ser conceituada como obediência a um conjunto de regras que são estabelecidas por um grupo. Uma pessoa indisciplinada seria aquela que tem dificuldades de obedecer às normas sociais e frequentemente sofre as consequências de seus atos.

Uma outra conotação da palavra disciplina refere-se à prática de um indivíduo que é metódico, que estabelece metas e rotinas vinculadas a  elas e as cumpre no devido tempo.

Disciplina também pode ter o sentido de um conteúdo a ser aprendido. Na universidade cada curso tem diferentes disciplinas ensinadas por diversos professores. Aliás, a palavra disciplina vem do latim “discipulus: aquele que aprende, do verbo “discere” (aprender). Portanto, a raiz da palavra disciplina está na palavra discípulo.

Por que esta reflexão hoje sobre disciplina?

Porque mais do que nunca ela é e será fundamental para todos nós.

Quem cultiva a disciplina pessoal aproveita melhor o seu tempo, inclusive nestes dias de quarentena. Estabelece uma rotina e tem a hora certa para fazer o que precisa ser feito. Separa tempo para trabalhar, ajudar em casa, descansar, relaxar, exercitar… Nem sempre ele consegue fazer tudo como gostaria, porém o seu índice de comprometimento consigo mesmo é elevado.

Mas a disciplina é importante não apenas para a produtividade pessoal. No contexto atual e próximo ela é extremamente necessária e valiosa para a coletividade.

Creio que uma das razões das sociedades orientais terem conseguido debelar a epidemia do coronavirus em um tempo relativamente curto está vinculada a esta característica social: a disciplina.

Em determinados países, quando uma ordem é emitida pelo governo, a grande maioria da população a cumpre fielmente porque tem a disciplina enraizada em sua cultura.

Sei que é muito importante que se comece a flexibilização do isolamento social. A economia do nosso país clama por isso. As demissões têm crescido. Cada vez mais precisamos colocar a roda da economia para girar, mas como fazer isso em segurança se grande parte dos brasileiros é indisciplinada?

Muitas pessoas só começaram a usar máscaras, apesar de todos os alertas, depois que contraíram a covid19 e sofreram duramente as consequências de sua ignorância e falta de disciplina pessoal.

Ao que tudo indica brevemente a flexibilização acontecerá. Como reagiremos? Comerciantes irão, de fato, obedecer todas as normas de funcionamento de suas lojas? Pastores que estão pressionando para abertura dos templos serão disciplinados na aplicação das regras, limitando o número de participantes, por exemplo? As pessoas que irão para os cultos cumprirão à risca as regras? Por quanto tempo?

Se não somos capazes de guardar certas leis agora, seremos disciplinados e observaremos outras regras sem supervisão? Seremos disciplinados evitando participar de aglomerações? Manteremos o cuidado com os idosos guardando o distanciamento deles por mais um tempo? Suportaremos usar máscara todas as vezes que saímos para a rua e durante todo o dia de trabalho fora de casa? Manteremos a consciência de nossa vulnerabilidade? Aceitaremos as limitações momentâneas sem nos angustiarmos demais?

Um lembrete final: Somos discípulos de Jesus e revelamos que estamos seguindo no caminho do discipulado cristão cultivando a disciplina em todas a áreas de nossa vida.

Marcos Vieira Monteiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *