Palavra Pastoral – CERTEZAS

Depois de um 1 ano e 10 meses de convivência com a covid-19, ainda tenho no fundo do meu coração, várias incertezas. Existem algumas que até reluto em admiti-las para mim mesmo. Talvez seja assim também com você.

Todo o impressionante avanço científico da humanidade não foi capaz de nos proporcionar um ambiente sem nenhuma incerteza e completa segurança. Mesmo com os números da pandemia em declínio, não há total consenso sobre vários temas que envolvem o combate à doença que levou milhares aos hospitais e ao túmulo. O que ainda enfrentaremos no futuro?

Neste ambiente tenho refletido sobre que certezas guardo hoje em minha mente e coração.

Estou certo de que Deus tem um propósito especial para a vida de cada um dos seus filhos, que foi preservada neste tempo em que tantos partiram para a eternidade.

Estou certo de que não existe nada mais importante que buscar identificar este propósito divino e viver procurando cumpri-lo.

Estou certo de que, grandes são as dores pelas perdas experimentadas, mas o Senhor deseja restaurar o nosso interior e Ele é capaz de curar as feridas da alma por maiores que sejam.

Estou certo de que, aqueles que cultivaram a comunhão com seus amigos e irmãos em Cristo, especialmente nos pequenos grupos, encontraram mais forças para superar os medos e mais recursos para enfrentar as lutas nesta grande batalha contra a covid.

Estou certo de que, por maiores que sejam os recursos tecnológicos que possamos utilizar para nos conectarmos às pessoas e cultuarmos a Deus, nada substitui o contato pessoal e os cultos presenciais no templo.

Estou certo de que, os tempos de tribulação são oportunidades extraordinárias para desenvolvermos a criatividade, amadurecermos como pessoas, avaliarmos novas possiblidades profissionais, demonstrarmos amor aos nossos amigos e parentes e crescermos espiritualmente.

Estou certo de que, precisamos cultivar as boas amizades e solidificar ao máximo os nossos relacionamentos familiares, pois em situações de extrema necessidade é com eles que vamos contar.

Estou certo de que, as crises econômicas requerem de nós uma dosagem ainda maior de solidariedade e generosidade para minimizar o sofrimento de nosso próximo.

Estou certo de que, mantendo a comunhão com Deus e procurando seguir o caminho da sabedoria, experimentaremos a realidade da mensagem bíblica de que, “todas as coisas conjuntamente cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:38).

Estou certo de que, ainda que as sequelas da covid permaneçam nos corpos, mentes e corações de muitos, esta pandemia vai acabar como tantas outras que já assolaram a humanidade no passado.

Estou certo de que, o fato de termos clamado a Deus com mais intensidade neste tempo de grande tribulação, moveu a mão divina e impediu que a tragédia fosse ainda maior.

Estou certo de que, infelizmente, após ter passado por grande sofrimento e apreensões, muitos estão deixando passar a oportunidade que lhes foi concedida de se reconciliarem com Deus ou se aproximarem mais dEle.

Estou certo de que, por outro lado, Deus usou a pandemia para trazer alguns de seus filhos de volta ao aprisco e a mudarem o curso de suas vidas.

Estou certo de que, a nossa principal ajuda em tempos como este, é mesmo a que recebemos diretamente de Deus. Cabe a cada um de nós buscar sempre a comunhão com Ele, que resultará em maior segurança e paz interior.

Marcos Vieira Monteiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.